Homens acusados de matar guanambiense são condenados a 22 e 26 anos de prisão em Vitória da Conquista


 

Os dois homens acusados do envolvimento da morte do motorista de aplicativo e estudante de Odontologia guanambiense, Hiago Evangelista Freitas, 24 anos, em 2019, foram condenados pelo Tribunal do Júri na terça-feira (9), no Fórum João Mangabeira, em Vitória da Conquista.

O júri se estendeu até as 3h desta quarta-feira (10). Rodrigo Porto Oliveira Silva, 27 anos, conhecido como Playboy, e Alexandre Cruz Brito, de 26 anos, conhecido como Parcker ou Xande, foram sentenciados.

Alexandre recebeu uma pena de 22 anos e 8 meses, enquanto Rodrigo foi condenado a 26 anos de reclusão e mais um ano de detenção. Segundo as investigações, Rodrigo e Alexandre mataram Hiago para roubar seu carro.

O jovem foi baleado e teve seu corpo incendiado enquanto ainda estava vivo. Após o crime, os dois fugiram com o veículo e os pertences da vítima.

Durante o julgamento, ficou esclarecido que os réus confessaram o assassinato, afirmando que o crime foi encomendado por um presidiário que buscava vingança, acreditando que Hiago estava envolvido com sua companheira.

Ambos os condenados são membros da facção criminosa TD3, que opera na zona leste de Vitória da Conquista e possui ligações com o Bonde do Maluco (BDM), liderado pelo traficante José Francisco Lumes, conhecido como Zé de Lessa.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não reflete a opinião deste site. Todos os comentários são moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas inadequadas com conteúdo ofensivo como palavrões ou ofensa direcionadas a pessoas ou instituições. Além disso, não serão permitidos comentários com propaganda (spam) e links que não correspondam ao post.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *